A Shonen Jump de 2011

Header2

Se em 2010 a Shonen Jump sofreu com a falta de novos mangás capazes de emplacar na revista, boa parte de 2011 pareceu seguir o mesmo rumo. Porém, a revista acabara de entrar em uma “nova era”, com possíveis sucessos sendo moldados e que surgiriam pouco tempo depois, fazendo todo o sofrimento do ano anterior valer a pena.

Capa2

Em 2011 houve mais uma comemoração que seguiria pelo resto do ano. Foi o aniversário de 35 anos de serialização de Kochikame, que como presente, recebeu várias aparições em outras revistas da editora, fez parte das lombadas de todas as edições da Jump e até ganhou um databook! O mangá mais antigo da revista mereceu bastante, sendo que o mesmo continua sendo publicado até hoje.

Kochikame

O temor se repete em 2011. Novas séries chegam na revista, mas nenhuma delas conseguem continuar por muito tempo. Entre todas as estréias, apenas Magico, Kurogane e St&rs aparentavam ser os novos mangás de sucesso da revista, porém St&rs caiu, seguido de Magico e muito tempo mais tarde foi a vez de Kurogane. Só que nem tudo estava perdido.

Nisekoi foi o único mangá a ser considerado um sucesso. A obra ainda está sendo serializada na revista, sendo que saiu o anúncio da adaptação para anime pouco mais de 1 ano depois.

Bleach sofreu bastante em 2011 com a queda nos rankings e posteriormente teve a vaga tomada por Toriko, que conseguiu se firmar na Tríade da Jump.

Fora as estréias sem sucesso e muitos cancelamentos, 3 mangás da revista ganharam adaptação para anime! Sem deixar de comentar o remake animado de outro mangá bastante conhecido.

Capas

Mangás da revista que ganharam capa

Novos mangás estampam a capa da revista e outros antigos a recebem pela primeira vez. Os animes de Medaka Box e Kuroko no Basket foram anunciados com diferença de um curto intervalo de tempo. Os dois ganharam suas primeiras capas na Jump após a capa de estréia que todos os novatos recebem.

One Piece, Naruto e Toriko formaram a nova Tríade da Jump, deixando Bleach para trás (que afinal teve um péssimo ano).

Oneshots

Oneshots

Comparado a 2010, a quantidade de oneshots foi um pouco menor, mas a quantidade dos que futuramente conseguiram se tornar sucessos são bem maiores.

A Golden Future Cup deste ano foi bastante disputada com oneshots bem interessantes. Foi a segunda GFC em que dois mangás participantes ganharam serializações no ano seguinte, sendo que o mangá vencedor Hungry Joker estreou mais de 1 ano depois. Takamagahara estreou bem antes, confundindo muita gente achando que ele havia ganhando a GFC.

Eis os oneshots publicados:

6 (Desconhecido), Sazitari (Desconhecido), Kurogane (Ikezawa Haruto), Shinkon-San Irasshai (Koji Oishi), Omaenchi, Obake Yashiki (Asou Shuichi), IPPON Bambi! (Miyamoto Kazuya), Kaizou Ningen Rogii (Yuu Miki), Tonari no Masami-chan (Naoto Kurose), Enma Gavel (Yusaku Shibata), Mon & Wed & Fri is Swimming (Teppei Fukushima), Haikyu!! (Furudate Haruichi), PSI Kusuo Saiki (Asou Shuichi), Takamagahara (Juzo Kawai), SINS (Masataka Miura), Tsukimi no Soba (Yuuya Ogura), Munehagane (Manabu Yashiro), Hungry Joker (Yuuki Tabata), Wolf x Red (Desconhecido), Welcome to Competitive Dance Club (YOKO), Jitsuryoku-ha Elite (Daisuke Ashihara), Kerberos (Desconhecido).

Kurogane

Dos oneshots acima, apenas Kurogane foi serializado em 2011. O mangá estreou indiscretamente, mas foi muito bem recebido, recebendo várias páginas coloridas e sendo um dos poucos que ganhou uma grande divulgação com página dupla colorida rapidamente. Após a estréia de Haikyu, outro mangá de esporte, Kurogane começou a cair na revista, conseguindo sobreviver graças aos outros fiascos que rondavam a revista. O mangá encerrou em 2013, com 68 capítulos (na revista), ganhando mais 2 capítulos no oitavo e último volume.

Haikyu, PSI Kusuo Saiki, Takamagahara e Hungry Joker foram serializados em 2012.

Estréias

Estreias

10 novos mangás estrearam na revista, um pouco mais do que o ano anterior. Nesse ano pelo menos vimos um novo mangá passar de 4 volumes publicados e até mesmo completar 1 ano de serialização na revista.

Eis os novos mangás:

Dois Sol (Katsutoshi Murase), Prince of Fairy Tale Grim (Kizuku Watanabe), Magico (Naoki Iwamoto), Sengoku Armors (Sakaki Shouta), Hanasaka Ikkyu (Yuuya Kawada & Komiyama Kenta), St&rs (Masaru Miyokawa & Takeuchi Ryosuke), Kagami no Kuni no Harisugawa (Yasuhiro Kano), Kurogane (Ikezawa Haruto), Nisekoi (Komi Naoshi) e Genzon! Kodai Seibutsu-shi Pakki (Retsu).

Magico e Kurogane ficaram pouco mais de 1 ano na revista, mas foram cancelados semanas após completarem essa marca.

Hunter x Hunter mais uma vez voltou para a revista, porém o mangaká Yoshihiro Togashi quebrou sua marca de 10 capítulos, ao publicar nada menos do que 21 capítulos nesse retorno.

Nisekoi é o único mangá estreante que continua até hoje e é um sucesso no Japão.

Cancelamentos

Cancelamentos

Apenas 7 mangás foram cortados da revista neste ano. Sendo 3 mangás do ano anterior, até que é um ótimo número se comparado a 2010.

Eis os mangás que foram cancelados:

Light Wing (Hideo Shinkai), Oumagadoki Doubutsuen (Horikoshi Kouhei), Dois Sol (Katsutoshi Murase), Sengoku Armors (Sakaki Shouta), Prince of Fairy Tale Grim (Kizuku Watanabe), Hanasaka Ikkyu (Yuuya Kawada & Komiyama Kenta) e Enigma (Sakaki Kenji).

Enigma foi o único sobrevivente de 2010 que durou mais de 1 ano, mas mesmo assim teve seu final abrupto em 2011. O capítulo final do mangá foi publicado poucas semanas depois na antologia sazonal Jump Next.

Hideo Shinkai voltou em 2013 com o mangá de música intitulado Soul Catcher(S).

Kizuku Watanabe voltou em 2013 com mais um gag mangá intitulado Koisuru Edison.

Yuuya Kawada e Komiyama Kenta refizeram a parceria e voltaram em 2013 com um mangá de beisebol intitulado Smoky B.B.

Katsutoshi Murase também retornou em 2013, mas na antologia Young Jump, publicando um mangá de esporte intitulado Mongrel.

Finalizados

Nenhum mangá foi finalizado naturalmente, o que é até aceitável pelo fato de nenhum mangá estreante ter tido algum sucesso o bastante para substituir uma série mais antiga, acontecendo somente em 2012.

Adaptações para anime

Animes

Ao todo, 4 mangás da revista ganharam animes. Os mesmos tiveram uma boa quantidade de episódios!

O anime de Toriko é produzido pelo estúdio Toei Animation e exibido no canal Fuji TV. O anime possui altos números de audiência, já que é exibido no horário anterior ao de One Piece. Já possui mais de 100 episódios produzidos e um longa-metragem animado para estrear no final de Julho de 2013.

Kuroko no Basket foi produzido pelo estúdio Production I.G. e exibido no canal MBS (junto com Animax e Tokyo MX). O anime se tornou uma explosão mundial de popularidade (muito mais no público feminino), fazendo o mangá vender uma quantidade enorme de exemplares em um curto espaço de tempo. A primeira temporada teve 25 episódios e uma segunda temporada está agendada pra estrear no segundo semestre de 2013.

Medaka Box foi produzido pelo famoso estúdio Gainax e começou a ser exibido no canal TV Tokyo em Abril de 2012. O anime teve duas temporadas produzidas, mas não teve um sucesso tão grande a ponto de alavancar as vendas. Teve 24 episódios ao total.

Hunter

Hunter x Hunter voltou as telas japonesas com o remake feito pelo estúdio Madhouse. O anime começou a ser exibido em Outubro de 2011 e continua até o momento, já passando dos 80 episódios e mais avançado na história do que a adaptação anterior.

Informações adicionais

Gintama Dance

  • O grande terremoto que abalou o Japão em 2011 afetou bastante o país. A matéria-prima para impressão, assim como o próprio papel ficaram bastante caros, fazendo a revista diminuir o número de impressões e até mesmo o material de páginas coloridas na revista. A distribuição também foi afetada, causando tal crise.
  • Os mangás Toriko e One Piece tiveram um capítulo especial crossover, praticamente para divulgar o anúncio do anime de Toriko.
  • Como o anime de Sket Dance estreou no começo de 2011, foi publicado também um capítulo crossover entre Sket e Gintama! Como o mangaká de Sket Dance, Shinohara Kenta, foi assistente de Hideaki Sorachi, mangaká de Gintama, houve esse certo motivo por trás, além da divulgação para a estréia do anime.
Anúncios

7 comentários em “A Shonen Jump de 2011

  1. Adoro esse tipo de post *———*
    Incrível como sempre, e informativo DEMAIS
    deve dar um trabalhão pra fazer, obrigado por postarem pra gente 😀
    ^^

    • Há especulações de que o autor quis acabar com o mangá pois não sabia mais o que fazer com a história, mas os péssimos rankings só deram mais chance para o mangá ser logo cancelado.
      Mesmo assim, Kagami no Kuni só terminou em 2012.

  2. Ótima análise sobre o overview de 2011, realmente foi um dos piores anos de Bleach, que só tem deixado a desejar. Uma pena, pois até metade da saga dos Arrancars, estava muito bom…

  3. Gosto mto desses históricos da Jump. Se ñ for pedir mto, gostaria q vc tbm fizesse da Shonen Magazine e da Jump Square (esse último começou em 2007 se ñ me engano, então axo q é mais fácil de fazer).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s