Trajetória: Shuichi Asou antes de PSI Kusuo Saiki

headerShuichi Asou é um autor cujos roteiros são voltados principalmente para a comédia. Ultimamente, ele vem sentindo o gosto do sucesso com o mangá PSI Kusuo Saiki, uma das novas joias do Shonen Jump. Mas, antes de brilhar, Shuichi passou por maus bocados enquanto tentava criar uma obra que o consagrasse.

Ken Haganeno, nada de mago e pouco de herói

Quest de hoje: aulas de heroísmo!

Quest de hoje: aulas de heroísmo!

A primeira série que Shuichi Asou publicou na Shonen Jump chamava-se Boku no Watashi no Yushagaku (algo como “Nossas Aulas de Herói”), de 2007, que contava o dia-a-dia da sala de aula 1-A do fictício Colégio Lança Sagrada. A classe perde todas as esperanças de ter uma vida escolar comum quando um novo professor responsável surge: Ken Haganeno, um suposto herói que é encarregado de dar aulas de heroísmo.
Haganeno é um homem estranho que não sente vergonha em andar por aí em trajes de herói medieval, e é extremamente orgulhoso. Mas seu comportamento é incrivelmente instável, podendo estar sorridente em um momento, gritar com seus alunos logo em seguida e depois surpreender todo mundo ao chorar de desespero.
A história toda é observada por Jun Kouno, um estudante que só quer saber de levar uma vida normal, mas acaba se envolvendo nas loucuras de Haganeno. Outra personagem importante é Muchiko Ibaraki, professora de inglês de comportamento severo que não suporta o estilo irresponsável e imprevisível de Haganeno. Seu maior objetivo é arruinar a carreira do professor-herói encontrando algo que o incrimine.

A sorte está ao lado do herói

A sorte está ao lado do herói

O humor da série mostrou fortes influências de Sexy Commando Gaiden: Sugoi Yo Masaru-san, de Kyousuke Usuta (o mesmo de Pyu to Fuku! Jaguar). De fato, a capa do volume 1 de Boku no Watashi no Yushagaku, é bastante similar à capa do volume 1 de Masaru-san. Curiosamente, a capa de cada volume exibia o número de personagens correspondente ao número de volumes. Seria interessante ver como seriam as capas de volumes posteriores se a série tivesse continuado por muito tempo.

Boku no Watashi no Yushagaku foi cancelado em 2008 com seis volumes publicados, menos do que Magico ou Enigma, mas mesmo assim o suficiente para ter passado da marca de um ano. Por ser publicado na revista certa e na hora certa, o professor Haganeno acabou imortalizado nos famosos pôsteres de aniversário de 40 anos da Shonen Jump desenhados por Yusuke Murata, em meio a outros herois como Kenshin, Gon e Naruto.
Antes de publicar esta série, Asou já havia publicado dois one-shots. O segundo deles, Legend Tower, foi lançado como bônus no volume 2 de Yushagaku.

O ídolo sem fãs e o paranormal revoltado

Kanata Seven Change: o protagonista é o de cabelo verde

Após o fim de Yushagaku, Asou publicou mais três one-shots, sendo que um deles foi publicado na Akamaru Jump (atual Jump Next!). No final de 2010, ele finalmente começou uma série nova com Shinseiki Idol Densetsu: Kanata Seven Change (algo como “A Lenda do Ídolo do Novo Século: Kanata Seven Change”). O mangá contava a história de Kanata, um garoto idol (sim, eles existem) de 17 anos que começou a subir a escada da fama, mas na verdade queria ser comediante. É fácil de perceber que nesse mangá Asou estava se esforçando para manter o traço mais constante e firme, ao contrário de Yushagaku, que permitia um traço mais desleixado. Porém, o protagonista não cativou as leitoras, tampouco fez os leitores se identificarem com ele. Kanata Seven Change foi um fracasso total, sendo cancelado com apenas 12 capítulos compilados em um único volume. A capa extremamente simples do volume pode ou não ser um reflexo da decepção do autor.

Na edição de verão da Jump Next! de 2008, o autor publicou um novo one-shot, protagonizado por um garoto de roupa verde e antenas chamado Saiki Kusuo. Saiki era diferente dos outros garotos da sua idade por possuir poderes paranormais, e por isso mesmo ele era extremamente arrogante. Saiki ouvia constantemente os pensamentos das pessoas e isso o enojava. Ele não hesitava em usar seus poderes para levantar saias de garotas ou atacar bullies que o incomodassem.

O one-shot fez sucesso e logo o autor publicou vários outros baseados na mesma ideia na revista Shonen Jump. Em 2012, PSI Kusuo Saiki finalmente virou série, com algumas ideias alteradas. Por exemplo, neste ponto, Saiki é contra a ideia de usar seus poderes em público para evitar chamar a atenção das outras pessoas. Os one-shots que deram origem à série, que totalizavam sete, foram compilados no volume 0 de PSI Kusuo Saiki. E agora a série segue firme na Jump, tendo 3 volumes lançados até o momento e prometendo muito mais.

Eu não posso ler sua mente, então escreva nos comentários o que você achou deste post.

Eu não posso ler sua mente, então escreva nos comentários o que você achou deste post.

Anúncios

3 comentários em “Trajetória: Shuichi Asou antes de PSI Kusuo Saiki

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s