Resenha: Jojo’s Bizarre Adventure – Vento Aureo

Header

Jojo’s Bizarre Adventure: Vento Aureo é a quinta parte de Jojo. Foi serializada na Shonen Jump semanal entre os anos de 1995 e 1999 durando 154 capítulos que foram compilados em 17 volumes. Na contagem geral de volumes, Vento Aureo começa próximo ao fim do volume 47 e vai até o volume 63 e é precedido pela Diamond is Unbreakable e sucedido por Stone Ocean.

Benvenuti nella famiglia (Bem-vindo à Família)

01

A história começa no ano de 2001, 2 anos após o final de Diamond is Unbreakable, em Nápoles, na Itália, e começa com Koichi, um dos heróis da parte 4, indo à Itália sob ordens de Jotaro para encontrar um jovem garoto de lá. Então somos apresentados ao tal jovem, Giorno Giovanna, de 15 anos, o protagonista da quinta parte de Jojo, que é filho de ninguém mais, ninguém menos que o eterno inimigo da linhagem Joestar, Dio Brando. Ele foi concebido durante o tempo em que Dio usava o corpo de Jonathan durante a parte 3.

O grande objetivo de Giorno é se tornar o grande chefe da máfia Italiana, para assim, ter poder suficiente para ajudar as pessoas de sua cidade a terem uma vida melhor. Para isso, Giorno pretende se aliar a uma das maiores gangues de mafiosos da Itália, a Passione, para trilhar o seu caminho para ser o chefe algum dia.02
E então, logo após entrar para a gangue, Giorno, ao lado de seus novos companheiros, recebe a sua primeira missão, servir de guarda costas para a filha do grande chefão (um homem poderoso e cheio de mistérios, a ponto de poucos na gangue saberem sua identidade) da Passione, Trish Una, e levá-la até Veneza para conhecer o pai, mas não será um caminho nada fácil… cheio de inimigos e muitas reviravoltas pelo caminho.

Todo o Glamour da máfia italiana à moda de Jojo…

03

Em Vento Aureo, temos provavelmente um dos mais carismáticos elencos de personagens de toda a franquia de Araki. O grupo de heróis (Giorno, Bucciaratti, Abbacchio, Narancia, Mista, Fugo e Trish) é bem variado, com personagens cheios de história pra contar e com personalidades bem diversas, sem falar, claro, nos muito bem variados stands deles.
Apesar de vários personagens carismáticos em Vento Aureo, alguns deles não são aproveitados como deveriam, e por isso, acabam deixando um pouco a desejar, mas isso não chega a ser feito de uma forma que comprometa a qualidade da trama principal, que é bem linear e direta ao ponto, além de bem divertida.

Há uma seleção bem interessante de vilões, que está disposta a fazer de tudo para impedir que nossos heróis cumpram seus objetivos, fazendo com que eles fiquem quase sempre sob constante ataque em suas viagens pelas terras italianas. E novamente, como já vinha sendo costume da série desde a parte anterior, temos vários stands com nomes de bandas e músicas famosas, entre eles Black Sabbath, Metallica, White Album, Gold Experience, Sex Pistols, Aerosmith, King Crimson e por aí vai…

05
Um dos meus pontos favoritos da parte 5, é como Araki fez muito bem a ambientação da história. As cidades da Itália são bem desenhadas, de uma forma bem cheia de detalhes no melhor estilo renascentista em algumas delas. Araki é conhecido por procurar retratar seus cenários de forma bem condizente com as cidades de verdade onde as histórias se passam, e aqui, não poderia ser diferente. Ponto para ele, pois os cenários de Vento Aureo são uns dos meus favoritos de toda a série.

Mesmo tendo alguns pequenos deslizes (que não entrarei em detalhes neste texto para evitar spoilers), Vento Aureo é uma das minhas partes favoritas de Jojo. Seu forte elenco de heróis cheios de carisma para dar e vender e divertidos conta muito a favor dela. Os vilões também são legais, apesar de alguns deles nem tanto (mas com stands interessantes também). No geral, Vento Aureo mostra mais uma vez a capacidade de Hirohiko Araki em divertir seus leitores com suas histórias cheias de acontecimentos bizarros, personagens exóticos, lutas cheias de estratégia que a Jojo’s Bizarre Adventure sabe fazer muito bem.04

Por Nintakun, do Mangás Cult

__________________________________________________________

Header

Esse foi o quinto post do Especial Jojo, trazendo a cada semana, uma resenha feita pelos nossos redatores e convidados diferentes de outros blogs, em que deixam a sua opinião e recomendação de cada parte da incrível saga criada por Hirohiko Araki, que já completa mais de 25 anos de publicação.

Caso queira conferir o post anterior, clique aqui para ler sobre JoJo’s Bizarre Adventure Part 4 – Diamond is Unbreakable

Se quiser conferir o próximo post sobre a Parte 6 – Stone Oceanclique aqui para ler

Anúncios

5 comentários em “Resenha: Jojo’s Bizarre Adventure – Vento Aureo

  1. Pingback: Resenha: Jojo’s Bizarre Adventure – Diamond is Unbreakable | Shonen Mania

  2. Pingback: Resenha: Jojo’s Bizarre Adventure – Stone Ocean | Shonen Mania

  3. Para mim, o maior problema com ela é o final mesmo, um final muito sem sal, comparado a todo o desenvolvimento até então, nos últimos volumes dessa parte. Mas os personagens são bastante marcantes; Buccelatti é o 2o melhor “parceiro de Jojo” pra mim (só depois do Gyro). As lutas são incríveis. O autor quis passar para um novo patamar de abordagem de luta com stands, usando a ideia de luta em times.
    Falei de um grande, ou maior problema acima. Para citar dois problemas menores, eu diria: (1) o vilão, Diavolo, na opinião o pior (até mais que os Pillar Men/Kars), e que só é salvo pela existência do Doppio; (2) e o quão apelão e absurdo é Gold Experience.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s