Analisando Arcos: Rurouni Kenshin – Arco de Kyoto

RUROUNI KENSHIN

Rurouni Kenshin (mais conhecido no Brasil como Samurai X) foi um mangá criado por Nobuhiro Watsuki.

O mangá se passa  nos primeiros anos da Era Meiji no Japão e conta a história de Kenshin Himura, um pacifico espadachim que prometeu nunca mais matar.  Mas o seu passado como retalhador a serviço da Ishin Shishi fez com que o jovem Himura ter que bradar novamente sua espada contra velhos e novos inimigos.

O mangá foi publicado originalmente na revista japonesa Shonen Jump e ao todo, teve 28 volumes encadernados. Também recebeu adptação para anime, totalizando 95 episódios.

Arco de Kyoto

O arco de Kyoto, começa já com a chegada de Saito na cidade, intercalando com a primeira aparição de Soujirou Seta. Enquanto ele vem à cidade com a ideia de contactar Kenshin, Seta aparece com o propósito de matar certo personagem de influência política. A primeira vista Saito apareçe como um vilão, que já chega ferindo gravemente Sano, mas depois da luta é mostrado que ele não é, apesar do seu temperamento. Mais tarde, é explicado o motivo da sua vinda.

A luta de Kenshin e Saito apesar de ser curta, é muito boa, sem dúvidas uma das melhores no mangá, e ainda conta por toda uma participação psicológica de Kaoru, impedindo com que Kenshin volte a ser o velho Battousai e mate Saito. Ao final da luta, Kenshin é informado que ele precisa impedir Shisio e que o mate, porém, Kaoru e Sano se mostram totalmente contra. Nisso, Kenshin pede um pouco de tempo para pensar melhor.

A despedida de Kenshin e a nova Sakabatou

A despedida de Kenshin é muito bem feita pelo autor (Nobuhiro Watsuki) e é marcada pela farra feita entre Kenshin e seus amigos. Também tivemos  a despedida de Kaoru e Kenshin, que de tão perfeito que é o romance que o autor coloca no mangá, fez com que fosse algo bem marcante.
Com Kenshin indo embora, a personalidade de Kaoru está extremamente abalada, ficando até de cama.Sano, que quer ir atrás de Kenshin, acaba lutando com Saito, que o derrota facilmente. Ele diz que não deveria ir a Kyoto, já que não é forte o suficiente, mas mesmo assim Sano consegue ir atrás de Kenshin.

Com a partida de Kenshin é apresentada uma nova personagem, Misao, a personagem nutre de uma admiração por Aoshi e que um dia espera encontrá-lo, Kenshin sabe onde ele está e tenta tirar essa vantagem dela.  A aparição de Misao na historia funciona mais como um ‘’link’’ entre Aoshi e seu clã Oniwabanshu, fazendo dela uma personagem com grande importância nesse arco.
Depois disso, junto de Misao, Kenshin resolve procurar uma nova “Sakabatou’’, para isso ele vai atrás de seu antigo ferreiro, mas recebe a noticia de que ele faleceu e mesmo seu filho não fabrica espadas. Kenshin então vai embora, apesar da relutância de Misao. Após isso somos apresentados à um membro da ‘’gangue’’ de Shishio (Chou Sawagejou), que sequestra o neto do ferreiro que fez a Sakabatou. Ele acaba lutando com Kenshin e perde facilmente. Essa não foi uma das melhores lutas do mangá, mas foi interessante e bem desenhada.

A Busca de Kenshin por mais poder e a evolução de Sano

Aqui somos apresentados a Seijuurou Hiko, antigo mestre de Kenshin, Seijuurou é um personagem bem carismático ao leitor.

Kenshin vai a procura de seu antigo mestre para fortalecer o seu Hiten Mitsurugi Ryu. Aqui somos apresentado a um arco de treinamento, que aliás, diferente de Bleach, Dragon Ball ou Naruto, o mini arco de treinamento é curto e o mais interessante é o flashback de Kenshin criança que acontece nessa parte do mangá. Ao mesmo tempo vemos Sano procurando Kenshin, mas ele acaba encontrando Anji Yuukyuuzan, um antigo monge com um passado trágico. Ele acaba se interessando por Sano e o ensina o Futae no Kiwami (Duplo Extremo). Mais tarde é revelado seu passado, que é extremamente interessante, pois o Watsuki consegue criar flashbacks maravilhosos. Soujirou Seta e Kenshin são um dos personagens com melhores passados que já vi nos mangás.

Kyoto em chamas e Kenshin VS Shishio

Aqui vemos alguns dos guerreiros de Shishio atacando Kyoto e é um dos momentos que Yahiko mais se destaca no manga.  Temos a aparição de alguns guerreiros como Kariwa Hennya e Kamatari Honjou. Kariwa acaba lutando com Yahiko, que ao meu ver foi EXTREMAMENTE forçada, pois não entendo como um garoto de 11 anos consegue ganhar de um cara bem mais velho e mais treinado, força de vontade tem limites. Já Katamari  é um personagem extremamente interessante, pois ele é um travesti, luta usando uma e ainda é apaixonado por Shishio(Shishio arrasando corações xD). Sem esquecer ainda de Fuji e Saizuchi, que participam de todo esse ataque a Kyoto.

Eu realmente não achei nada de interessante essa parte no manga. A única coisa que eu realmente achei “chata” nesse arco foi ver Kaoru e Yahiko lutando ,mas pelo menos vemos Fuji e Katamari em ação, pena que poderia ter sido em uma ocasião diferente.

Em Kenshin VS Aoshi,  as coisas começam a voltar aos trilhos. Watsuki faz uma luta incrível e extremamente bem desenhada, já dando pra notar a evolução no traço de Watsuki. Realmente essa foi a luta que eu mais gostei de acompanhar nesse mangá, ela foi bem executada e os diálogos entre  Kenshin e Aoshi foram bem feitos. Por fim, Kenshin dá uma lição de moral em Aoshi (ao estilo Medaka XD).

   Após a luta de Aoshi contra Kenshin, temos aquele que para mim, é o melhor momento desse arco, a luta de Kenshin contra Soujirou Seta e seu flashback. Simplesmente, o Flashback de Soujirou é espetacular, os diálogos que ele mantém com Shishio, o momento no qual ele mata impiedosamente aqueles que o cuidavam e o maltratavam. Pra mim, o passado de Soujirou foi um dos melhores Flashbacks que já vi nos mangás, sem duvida alguma. Depois disso, ainda temos uma excelente luta dele contra Kenshin. No fim, Soujirou acaba sendo derrotado, mas Kenshin ficara extremamente desgastado dessa luta.

Chegamos na luta mais esperada pelos fãs do mangá na época e também a luta que seria a favorita do mangá. Como já dito anteriormente, Kenshin chega extremamente desgastado na luta contra Shishio e por causa disso ele sofre muito por Shishio. Aliás, a luta de Shishio contra Kenshin é a mais longa do manga, Watsuki fez uma luta extremamente bem feita, a única coisa que deu um ar de exagerado é o fato da “gordura” das pessoas mortas por Shishio que permaneceram na espada, criarem chamas ao redor da espada…

Em determinada parte da luta, Kenshin sofre um golpe muito grave e é dado como morto. Saito aproveita e toma o lugar dele na luta, mass Kenshin acaba voltando como todo bom protagonista shonen, e no fim vemos Shishio sendo morto, mas não por Kenshin e sim pela combustão de seu corpo, que por causa de todos os ferimentos por ter sido queimado, não aguentou a alta temperatura. No final Watsuki faz de Shishio uma das mortes mais interessantes que já vi em um manga e apresenta uma ultima cena espetacular de Shishio no inferno e sua “mulher” procurando conquistar aquele lugar, um excelente final pra um excelente vilão.

Comentários Gerais

O arco de Kyoto apresenta aquele, que pra mim, é o melhor momento do manga em seus 28 volumes. Ao meu ver melhor até que o flashback de passado de Kenshin. Nesse arco vemos tudo aquilo que realmente aumenta seu interesse ao ler um manga Shonen: boas lutas, um bom vilão, bons coadjuvantes, momentos emocionantes, e até um romancezinho de leve.

O começo  do arco é um pouco lento, mas da metade para o final, a coisa realmente começa a esquentar e faz você se esquecer daquela lentidão do começo. Tem alguns momentos chatos ao meu ver, como toda aquele ataque a Kyoto e o Yahiko, porém a maioria dos momentos no arco são muito bons, mesmo o arco sendo bem longo, o arco de Kyoto foi um dos melhores arcos de história que já vi em mangás e realmente mostrou o quanto Rurouni Kenshin é um manga esplêndido e merece todo sucesso que teve e tem até hoje.

É isso aê, espero que tenham gostado ;D

Anúncios

2 comentários em “Analisando Arcos: Rurouni Kenshin – Arco de Kyoto

  1. Olha só, post bem legal.
    Samurai X é um dos meus mangás favoritos.
    Gostei da analise, exceto pela parte em q vc falou que a luta do yahiko foi chata. Fuji e Kamatari que se danem! Achei as lutas bem legais e mostram que o autor se importa com seus personagens (o que hoje em dia está complicado). Foram lutas bem bonitas.
    Essa cena q vc colocou do shishio contra o kenshin é simpelsmente demais, adimiro esse cara pra valer, meu sonho é desenhar tão bem qto ele na época do Samurai X.
    Sobre o arco ser o melhor, eu não consigo escolher, (não que a outra melhor parte seja o passado) mas de qlqr forma, merece essa colocação.
    Parabéns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s