Resenha: Prince of Tennis! Jogar Tênis nunca teve tanta ação!

Começando com o blog e dando início à essa coluna. Trago para vocês o Review Shonen, com um mangá que atraiu muitos fãs (e muitos haters, também): Prince of Tennis.

Capa do Volume 1 de Prince of Tennis

Capa do Volume 1 de Prince of Tennis

DADOS

Prince of Tennis (Tennis no Oujisama)
Autor: Takeshi Konomi
Revista: Shonen Jump
Editora: Shueisha
Data de Publicação: 1999 – 2008 (42 Volumes)
Sequências: New Prince of Tennis e The Prince of After School

Prince of Tennis estreou na Jump em uma época que ainda eram publicados grandes mangás, como Hikaru no Go (ainda no início), Hunter x Hunter (já publicando irregularmente), Shaman King, Houshin Engi e entre outros. Felizmente, mostrou rapidamente ser um sucesso e sempre recebendo Color Pages e ficando no Top 10.

História

Echizen Ryoma

Echizen Ryoma

Echizen Ryoma é um garoto de 12 anos, que já ganhou vários campeonatos de tênis. Recentemente, ele acabou de voltar ao Japão depois de passar 4 anos nos EUA e foi transferido para Seishun Gakuen (ou Seigaku, como é frequentemente chamada). Ryoma começa a desafiar e ser desafiado pelos veteranos do clube de tênis, no qual ele acaba sempre vencendo, o que acaba chamando atenção de todos, ainda mais por ser canhoto e jogar com a mão direita.

Ryoma vira o centro das atenções quando ele é convocado aos jogos de ranking, que seleciona os titulares da Academia para participarem dos torneios. Parece algo normal, só que nesses jogos, somente são chamados jogadores dos Segundos e Terceiros anos e Ryoma ainda é do Primeiro!
No decorrer desses jogos, ele acaba conhecendo vários desafiantes veteranos (que futuramente seriam seus companheiros de equipe), como: Fuji, Momoshiro, Kikumaru, Inui, Kawamura, Oishi, Kaidoh e Tezuka. Depois de vencer Kaidoh em uma partida que revela mais habilidades de Ryoma, como copiar as técnicas do adversário. É revelado mais detalhes sobre ele, sendo que é o filho de Echizen Nanjirou, um grande tenista profissional que estava no auge quando misteriosamente largou o Tênis.

No próximo jogo, contra Inui, Ryoma se vê encurralado diante da habilidade do oponente que diz prever as suas jogadas. Novamente, após uma partida díficil para Ryoma, ele surpreende dando uma reviravolta no placar e vencendo Inui, assim Ryoma vira um titular. Apartir daqui, o time de Seigaku começa a se preparar para o Torneio do Distrito de Tóquio, que é a porta de entrada para os times que querem competir no Torneio Nacional.

Titulares de Seigaku

Titulares de Seigaku: Tezuka, Ryoma, Kaidoh, Oishi, Kikumaru, Fuji e Kawamura

Análise

Drive B de Ryoma

Ryoma usando Drive B contra Fuji Yuuta

Prince of Tennis é um mangá divertido de ler, um volume passa rapidamente devido as inúmeras e bem desenhadas páginas duplas, que mostram cenas das técnicas dos jogadores. Técnicas essas, que podem até incomodar um pouco devido ao seu incrível exagero, no qual apartir do volume 17 passa a ser um pouco extremo (só pra dar um gostinho de curiosidade, existe uma jogada que faz a bola parar em cima da rede!), mas que certamente são bem elaboradas e que o autor soube desenhar bem.

Outra coisa que me interessou foi a diversidade de personagens. Durante os torneios vão surgindo mais e mais rivais poderosos, cada um com técnicas e carismas individuais, que certamente é um fator importante em um mangá de esporte e que o faz se destacar dos demais. A maioria dos rivais são facilmente lembrados, pois o autor sempre pôe uma carga de drama em cima de cada um (normal em qualquer mangá de esporte) e esse é outro ponto para destaque. A maioria desses “flashbacks” são ótimos e essenciais para se aprofundar no desenvolvimento daquele jogador.

A arte do mangá é meio defeituosa no inicio, mas vai melhorando a cada volume. As cenas de ação são muito bem desenhadas e possuem efeitos realmente impressionantes.

Agora, depois de tanto aspecto positivo nesse mangá, sempre têm algo que incomoda e deixa a desejar. Bom, em Prince of Tennis faltou algumas coisas essenciais para a história.
Todo mangá de esporte sempre tem aquele sonho, aqui é o de vencer o Torneio Nacional. Avançando no mangá, isso se torna algo vago, tanto que no final não vemos muita ansiedade dos jogadores em vencer o torneio (só não digo o porquê, que é para vocês lerem!), o que já me desgostou.

No decorrer do mangá, sempre temos os torneios e inúmeras partidas, mas também temos alguns capitúlos episódicos que mostram a vida dos personagens no seu dia-a-dia. Em Prince of Tennis não é diferente, temos os personagens indo ao boliche,
indo à churrascaria e etc.
Certo, e qual é o ponto negativo disso?
Bom, chega em um certo momento do mangá em que isso não existe mais.

Mada Mada Dane

Frase que Ryoma sempre usa em suas partidas.

Somente partidas seguidas, sem nenhuma pausa pra descansar os leitores, que ao decorrer da leitura começam a ficar entediados.
E lado a lado com isso, o autor começa a simplesmente jogar os personagens novos em uma partida sem ao menos mostrar alguma informação sobre eles, ao contrário do que ele fazia antes.

Conclusão

Prince of Tennis é um mangá direto e facilmente lido. Mesmo deixando a desejar em algumas coisas, ainda consegue ser um bom mangá de esporte na qual eu recomendo a todo fã de mangás shonen. Quem gosta de um mangá bem mais real, como Slam Dunk ou Rookies, pode até detestar por conta do enorme exagero que o mangá leva. Eu gostei de Prince of Tennis, mas não a ponto de adorá-lo.

Informações Adicionais

New Prince of Tennis

New Prince of Tennis

-O anime de Prince of Tennis estreou em Outubro de 2001 no Japão e foi até
Março de 2005, totalizando 178 episódios. Depois do fim do anime, ganhou
3 OVAs mostrando o Torneio Nacional, totalizando 26 episódios.

-O anime de Prince of Tennis foi exibido no Brasil pelo extinto canal Animax

-Depois do fim de Prince of Tennis, Konomi Takeshi começou a publicar New Prince of Tennis em Março de 2009 na revista Jump Square, no qual recentemente ganhou um anime.

-Além de publicar New Prince of Tennis, Takeshi publica na mesma revista o mangá Prince of After School, que narra a vida dos jogadores na escola.

Como sou novo nisso, ainda tenho muito a aprender, mas espero que tenham gostado do meu primeiro post.

Anúncios

4 comentários em “Resenha: Prince of Tennis! Jogar Tênis nunca teve tanta ação!

  1. Ficou boa a ‘esquematização’ da review, e acho que você tocou em todos os pontos importantes, deu pra entender como é o mangá bem. Acho que só falta se aprofundar mais em algumas coisinhas que você citou, mas está ótimo!

  2. Ótimo primeiro post rapaz, você escreve muito bem! Seja bem-vindo à blogosfera de mangás/animes

    Eu conheço PoT há alguns anos mas nunca li (não sou TÃÃÃÃO fã de mangás de esporte assim, apesar de Slam Dunk ser parte do meu top 5 de mangás favoritos of all-time). A arte de Takeshi Konomi é realmente bem bonita, eu já espiei algumas páginas do mangá e gosto das noções de velocidade que ele faz também.

    Bom, agora se vou gostar do mangá já é outra história, como você disse aí, pode não agradar os fãs de mangás esportivos mais realistas (como o meu amado Slam Dunk, por exemplo), mas acho que assim mesmo não custa nada dar uma lida, parece ser um mangá divertido mesmo.

    Fun fact: Slam Dunk a partir de um certo ponto, passa a ter bem menos capítulos episódicos mostrando o dia-a-dia dos personagens, mas nem por isso, perde a maestria (muito pelo contrário, Takehiko Inoue conduz as partidas tão epicamente que até compensa e vai além, explorando os personagens dentro das partidas inclusive).

    Continue assim!

  3. Pingback: Analisando… #01 – Jump Weekend! – Mangás de esportes da Jump | Hakuren

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s